fevereiro 17, 2014

Entrevista: Merari Tavares




Merari Tavares Merari Tavares nasceu em São Paulo, em 7 de agosto de 1990. Musicista, graduada em Letras, licenciada em Língua Portuguesa e Língua Inglesa, pela FAAT – Faculdades Atibaia e, Produção Editorial – UNIL – Universidade do Livro".
Já lançou três livros solos: Rháuwey – Uma Escola do Barulho, Florência – A Borboleta que virou Bailarina e Minha Namorada Virtual.



Lady Graciosa: Quem é Merari Tavares
Merari Tavares: É Acadêmica Correspondente da ALG, ARTPOP, ALAV (Valparaíso – Chile), ALAB, CACL, Ex-Secretária da ALAF, Ex- Secretária-geral Nacional da ANBA e Ex- Diretora de Eventos da Literarte. Participou de mais de 20 Antologias. Recebeu o Prêmio Deonísio da Silva – Contos - 3º Lugar; Troféu Destaque 2012 – ANBA; Prêmio Cultural Ronald Golias 2012; Prêmio Troféu Destaque 2011 - ANBA; Destaque Brasil 2011 – Raymundo Nonato; Prêmio Interarte 2011 - categoria “Destaque artístico”; Prêmio Cultural Ronald Golias 2011; Menção Honrosa no Primeiro Concurso Literário “Oliveira Caruso” - na categoria “PROSA”; Medalha Qualite Suprême – Acadêmie Parisiense de La Literature Pour Enfants (2011) e, foi premiada como escritora “Revelação Literária” – Prêmio Personalidades 2010, pela ARTPOP – Academia de Artes e Letras de Cabo Frio.

Participou também dos seguintes livros em coautoria: "Tesouros Brasileiros", "Histórias para Você Dormir vol.1, 2,3", "Encantos do Brasil II", "Palavras Sem Fronteiras vol. 1 e 2”, "Papo Cabeça vol.1 e 2 ", Destinos", " Brasil: mais que um país, uma inspiração", “ Tratado Secreto de Magia 2”, dentre outros. Representou a Literarte - Associação Internacional de Escritores e Artistas, no ano de 2012 como Diretora de Eventos desta associação. Em maio de 2013 fui como autora e divulgadora. Esteve na Feria del Libro, de Buenos Aires, Casa de Jorge Amado, lançamento e divulgação do meu trabalho como escritora, assim como, livros de diversos autores associados à Literarte.

LG: Quando começou a escrever?
MT: Minha paixão pela escrita começou desde pequena. Sempre fui muito apaixonada pela leitura, devido ao fato de minha mãe ser professora, e meu pai, na época, sempre ler muitos jornais em casa. Isso fez com que estimulasse mais ainda o gosto pela leitura. Minha mãe sempre trazia livros novos para mim, e, meu pai, geralmente trazia Gibis para mim, quando chegava com o seu jornal.
Sendo assim, na escola, minha matéria predileta sempre foi a língua portuguesa e língua inglesa. Adorava as aulas de redações e, tirava sempre a nota máxima. Era destaque nesta disciplina, o que já não acontecia na área de exatas (risos).

LG: Você se inspira em alguma autora?
MT: No início de minha carreira, eu me inspirava muito em Pedro Bandeira e Marcos Rey, pois sempre li muito a coleção Vaga-Lume e, sempre apreciei as histórias contadas por estes autores. Claro que, existem muitos outros excelentes que fui conhecendo com o decorrer do tempo, tais como: Danielle Steel, John Grogan, Emily Giffin, Nicholas Sparks e um autor que eu admiro muito, inclusive ele é um grande amigo meu, o escritor José Araújo. Suas obras são incríveis, pois ele escreve sobre o amor, sobre os sentimentos.
No entanto, hoje, eu me inspiro na vida, nas pessoas em geral. Sou muito observadora e, quando menos espero, vejo uma cena, surge uma ideia, faço uma pequena anotação e depois, crio uma história.

LG: Como seleciona os temas para suas histórias?
MT: Como mencionado anteriormente, eu me inspiro nas pessoas, na vida em si. Observo o dia a dia, me deparo com situações, faço anotações e depois inicio uma nova história ou um pequeno conto/crônica, ou ,até mesmo um poema, sobre o que observei durante o dia.
Algumas vezes, o que escrevo é baseado na minha própria vida, experiências adquiridas, seja em relacionamentos, ou, até mesmo em sonhos.

LG: Qual o tema que você ainda não trabalhou, mas pretende no futuro?
MT: Romance policial é um deles. Já recebi convites para escrever sobre o tema, mas creio que ainda me falta inspiração, amadurecimento e fontes, para que eu possa criar uma história desse tipo. É uma possibilidade em escrever futuramente.

LG: Em que momentos você escreve? Como as histórias surgem para você?
MT: Não tenho um horário específico para começar a escrever. Escrever é algo muito espontâneo. Você não precisa estar em um escritório para começar a escrever uma história. Eu já escrevi um livro em sala de aula – aula de matemática – já iniciei outro em uma rodoviária, enquanto aguardava o ônibus e, só em observar aquela movimentação de pessoas por todo canto, a ideia surgiu repentinamente; simplesmente peguei uma agenda, uma caneta e comecei a rascunhar. Outra vez, escrevi dentro do ônibus, em movimento.
Então, para escrever basta existir inspiração e como disse: as pessoas, a vida, a natureza me inspiram!!!

LG: Já lhe faltou inspiração para terminar um livro?
MT: Sim, claro. Já me faltou inspiração para concluir alguns livros. Tenho alguns para concluir. Inclusive, posso adiantar o nome de um que se chama: Adolescência Precoce, em que narra a história de Meg, uma pré-adolescente que adora se vestir e se comportar como se fosse uma adolescente de 15, 16 anos e, como toda adolescente, adora se aventurar em romances, festinhas ,e claro, tudo escondido dos pais.
Este livro eu abordo uma temática muito interessante sobre os jovens. Falo sobre o comportamento, atitudes, a relação entre pais e filhos, enfim. Preciso apenas de um pouco mais de pesquisa para com o assunto e inspiração, para que eu possa concluí-lo.

LG: Qual o primeiro romance que você escreveu? Como foi?
MT: O primeiro romance que eu escrevi foi o Minha Namorada Virtual. Eu o escrevi quando ainda estava ingressando na adolescência, devia ter uns 13 anos, aproximadamente. E apesar dos anos, hoje o tema é superatual. Este livro é baseado na vida real. Conta a história de um rapaz formado em análise de sistemas, que conhece uma garota através de um chat da UOL. Sendo assim, eles marcam um encontro e se conhecem melhor. Depois disso, o contato vai aumentando, até que eles firmam um relacionamento sério, mas como nem tudo é perfeito há interferências e, descuido por parte de um deles, o que pode ocasionar um grande rebuliço no relacionamento deles.
O livro é uma mistura de criatividade e realidade, pois eu mesma, na época de pré-adolescente, tive um namorado virtual. (risos)

LG: Você escreve também escreve contos e poesias. Conte-nos sobre isso.
MT: Sim, este também é uma outra prática que eu abordo. Sempre achei um pouco mais difícil escrever poesias, pois esta exige rima, já o poema não. Ainda assim, a poesia está presente no poema, pois ela dá vida e sentimentos às palavras e emoções. Anteriormente, eu escrevia mais contos e crônicas, romances, mas estes, o tempo para conclusão é mais demorado, já um poema/poesia é quase instantânea.
Recentemente, a inspiração tem surgido quando menos espero e, abro o face e começo a digitar algumas palvras que resulta em um poema.
Já os contos, eu constumo abordar o tema: relacionamento, sentimentos. Neles eu me baseio na vida das pessoas, experiências vividas e, passo tudo para o livro, permitindo o compartilhamento destes contos aos leitores, proprocionando uma leitura agradável, fazendo com que as pessoas se identifiquem com a situação narrada. E, até mesmo, proporcionado reflexão nos erros vividos, e claro, aprendemos com os erros e sendo assim, encontrando-os, temos a possibilidade de não os cometê-los mais.

LG: Quais as autoras que você mais gosta de ler?
MT: Como mencionado anteriormente em dado momento, também sendo fonte de inspiração no passado, as leitoras que amo ler são: Danielle Steel, Emily Giffin, Eritânia Brunoro – uma grande amiga minha do Acre, Graciela Mayrink – nos conhecemos em uma das Bienais do Rio de Janeiro - ela é incrível, Elizabeth Eulberge, Kieran Scott, e, recentemente, Lilian Reis.

LG: Qual a sua profissão? Como você concilia sua vida com a vida de escritora?
MT: No momento, apesar de ser graduada em Letras e Produção Editorial, atuo somente como escritora e revisora. Nos anos anteriores viajei muito por este Brasil e, também realizei algumas viagens internacionais, participei de Bienais, Feiras de Livros, entrevistas para TVs e rádios, enfim, uma vida um pouquinho agitada, na época, conciliando minha agenda com a faculdade.
Este ano, se não me falha a memória, realizei apenas uma viagem internacional a Buenos Aires, participando da Feira do Livro e lançamento na Casa de Jorge Amado, ainda assim, marquei presença em alguns lançamentos e acompanhei amigos da área em entrevistas para TV.
Porém, no momento, estou focada na escrita, no aprimoramento, aproveitando para ler muitos livros, inspirar-se para que em breve, publique outros muitos livros que estão na fila.

LG: Como foi a emoção de ter seus livros publicados?
MT: Nossa! É uma sensação incrível! Como dizem por aí, é como se um filho estivesse nascendo, como ainda não tenho filhos e não sou casada, posso imaginar a analogia de emoções entre eles, pois é indescritível. Você se sente uma estrela, pois vive rodeada de flashes, autógrafos, premiações, mídias e entrevistas. É uma profissão como qualquer outra, mas tem glamour, e, é necessária muita força de vontade, persistência para que colha os frutos, da semente que plantou.
Não vou criar falsas impressões, pois sou muito honesta e, não vejo motivo para omitir este fato que irei lhes contar. Para realizar este sonho, eu levei oito anos para ver meu primeiro livro publicado, pois como na época eu era menor de idade e também não tinha um nome, não era reconhecida, encontrei muitas dificuldades para que uma Editora aceitasse o meu trabalho. Quando encontrava, o que era raridade, os custos eram altíssimos.
Mas, com persistência e fé, no tempo certo, Deus cumpriu o desejo do meu coração. Hoje, sou reconhecida, tenho diversas medalhas e títulos, ainda também, fazendo parte de diversas academias nacionais e internacionais.

LG: Quais os seus projetos futuros?
MT: Bom, tenho muitos projetos em andamentos. Faltam apenas alguns detalhes para que eles possam ser concretizados.
Como mencionado, há alguns livros que precisam ser finalizados: Adolescência Precoce, Coração Bandido – Em Cada Alma, Um Mistério – este livro fala sobre um triângulo amoroso e a vida de uma adolescente que conhece o amor, se apaixona, se ilude, fica noiva, fica dividida entre dois corações, enfim, uma história muito interessante; no entanto, quero acrescentar detalhes importantes antes de finalizá-lo. É um livro extenso, para tanto, provavelmente o dividirei em volumes.
Outros, preciso apenas publicá-los. São eles: Louco Por Você, 30 Minutos Com Um Estranho, O Pequeno Mago, Minha Querida Professora e Uma Dúzia de Coisas que nos Deixam Felizes.

LG: Obrigada Merari por ter nos contado um pouco sobre você!
JN: Obrigada pelo carinho e convite. Fiquei muito lisonjeada.As perguntas elaboradas por você são fantásticas. Fiquei impressionada com tanta criatividade.  Espero fazer jus à tão honrada entrevista. Fique com Deus.


Deus?
Imprescindível, Deus acima de tudo.

Filhos?
 Amor incondicional, um sonho.

Amor?
Minha Família.

Saudade?
Saudade das minhas avós.

Uma lembrança?
Minha primeira viagem internacional.

Um sonho?
Casar e ter filhos.

Uma viagem?
Fernando de Noronha.

Uma cor?
Rosa.

Um livro?
Haras – Uma História de Amor – José Araújo

Um filme?
O Diário de uma Paixão

Uma comida?
Strogonoff

Uma bebida?
Lambrusco.

Time do coração?
Deus é o meu time.

Uma frase?
"A leitura de um bom livro nos proporciona viajar e conhecer o outro lado do mundo".
 Merari Tavares


Quer saber mais sobre a Merari? 

Dados extras: 

Livros publicados: Minha Namorada Virtual (http://minhanamoradavirtual.blogspot.com), Rháuwey – Uma Escola do Barulho e Florência – A Borboleta que virou Bailarina.
Onde comprar: Diretamente com a autora, e, no seguinte site:
http://www.garciaedizioni.com.br/minha-namorada-virtual

0 comentários:

Postar um comentário